Softwares jurídicos: o mercado da automação de documentos

Softwares jurídicos

Nos últimos anos o mercado de softwares jurídicos aumentou e muito no Brasil. O número de Legaltechs e Lawtechs tem crescido dia após dia, que nascem justamente com o boom de startups que decidiram voltar os olhos para a necessidade de advogados e consultorias jurídicas no país.

Programas que oferecem consultas a documentos públicos, analytics, jurimetria, resolução de conflitos on-line e até mesmo redes de busca por profissionais, são apenas alguns dos serviços que as Lawtechs e Legaltechs oferecem hoje.

Mas o que são as Lawtechs e Legaltechs?

Os dois termos na verdade significam a mesma coisa. São empresas, em sua maioria startups, que desenvolvem produtos de base tecnológica aplicáveis ao meio jurídico. Essas empresas oferecem soluções que visam otimizar as atividades de escritórios de advocacia e departamentos jurídicos de empresas, sempre analisando os pontos de maior necessidade desse setor e oferecendo ideias para melhorar o dia a dia das empresas e dos profissionais. Em resumo, são empresas que facilitam o trabalho do setor jurídico, transformando a maior parte das atividades manuais em tarefas eletrônicas e digitais.

E por que essas empresas estão crescendo por aqui? 

Bom, o Brasil é o país líder no volume de processos contenciosos – ou seja, o direito voltado para disputas, contestações e resoluções de conflito é vasto.  Por isso, a maioria das soluções de tecnologia para o segmento leva em consideração a rotina exclusiva do jurídico contencioso. Hoje empresas e escritórios conseguem encontrar softwares jurídicos para diversas necessidades do dia a dia do profissional de Direito, como conexão com correspondentes, automatização de tarefas, monitoramento de andamentos e análise de dados (jurimetria). Há, ainda, uma nova vertente desse universo que está ganhando cada vez mais força, a automação e gestão de contratos.

A deficiência na automação da gestão de documentos

Toda e qualquer empresa estruturada lida com contratos, sejam de funcionários, de prestadores de serviços, de compra, venda, locação, direitos autorais, de uso de imagem, etc. A gestão de um contrato vai muito além do Direito e dos processos jurídicos.

E o que acontece na rotina de um profissional que lida com essa “papelada” é o famoso Ctrl C + Ctrl V, o imenso fluxo de informações que ficam inevitavelmente desorganizadas, além de tarefas burocráticas que atrasam ainda mais o trabalho. A gestão de contratos sempre foi um trabalho essencialmente manual, cansativo e muitas vezes, fadado a falhas.

Mas nos últimos anos as empresas têm voltado a atenção para essa necessidade de ter soluções e tecnologias nesse segmento, de informatizar e automatizar a maior parte da produção, do acompanhamento e da execução dos contratos dentro das empresas. Esse movimento tem sido liderado principalmente por startups como a Linte, que oferecem a possibilidade de liberdade para criar, negociar e gerir os contratos de empresas de qualquer segmento, de uma maneira simples, inteligente, interconectada, confiável e efetiva.

A Linte foi uma das empresas que enxergou essa necessidade e decidiu trabalhar em soluções que oferecessem automação para todo o fluxo relacionado a contratos, desde a elaboração desses documentos até o controle das obrigações. Com isso, foi possível notar nas empresas que apostaram nessa automação significativa melhora na eficiência do processo, na produtividade dos times, além da redução de custo e de tempo perdido com as tarefas operacionais e desestimulantes.

A automação de contratos como aliada

Optar por softwares jurídicos de automação e gestão de contratos é ter um aliado dentro da empresa que irá concentrar todas as informações num único lugar. Além disso, a plataforma tecnológica possibilita que pesquisas sejam feitas com mais facilidade, que prazos sejam acompanhados sem pressão e correria, que alterações nos modelos estejam imediatamente refletidas em todas as minutas e padrões documentais da empresa. Os clientes internos, que demandam documentos, passam a ter visibilidade do andamento das tarefas e conseguem ter autonomia para produzir documentos de baixa complexidade. 

O uso dessas ferramentas tem impacto direto até mesmo no lucro da empresa, afinal a chance de falhas, perda de prazos, multas por atrasos, perda de informações, negócios que deixam de se concretizar, etc, é levada quase que a zero com a adoção de tecnologia. 

E a conta que deve ser feita nesse caso é simples: quanto vale o seu tempo para que ele seja desperdiçado buscando informações em pastas infinitas? Ou alterando arquivo por arquivo em seu sistema? Numa era tecnológica como a nossa, o tempo é a melhor, maior e mais valiosa ferramenta de trabalho e perdê-lo, não tem preço!

Bitnami